Com IPO, CSN Mineração reforça seu compromisso com as práticas ESG

12/03/2021

A CSN Mineração (ticker CMIN3) concluiu no último dia 18 de fevereiro sua oferta pública inicial (IPO) na B3. Com uma captação de cerca de R$ 5,2 bilhões, a oferta figura entre os 10 maiores IPOs da história da B3 em volume.

A Companhia, que integra o Grupo CSN e é uma das maiores produtoras e exportadoras de minério de ferro do Brasil, celebrou a operação com um toque de campainha simbólico de abertura de pregão no dia 23 de fevereiro, na sede da B3, em São Paulo.

“É com muito orgulho que celebramos o início das negociações da CSN Mineração na B3. O IPO representa um momento histórico para a companhia, e estamos muito felizes por compartilhar com todos a oportunidade de construirmos, juntos, um novo capítulo na história da mineração”, comemorou Benjamin Steinbruch, diretor presidente da CSN.

Os recursos captados pela oferta da CSN Mineração serão utilizados pela companhia para execução de projetos de expansão, tais como o projeto Itabirito P15 e os Projetos de Recuperação de Rejeitos de Barragem Pires e Casa de Pedra. Estas e outras ações reforçam o compromisso do Grupo CSN  com sua agenda de ESG.

“A CSN Mineração foi pioneira ao implementar a tecnologia de filtragem e empilhamento de rejeitos. Iniciamos o cronograma de descaracterização das barragens e em pouco mais de dez anos não teremos mais esse tipo de estrutura. Eu vejo a CSN trilhando um ótimo caminho, de uma empresa mais moderna. Com uma agenda que se baseia na inovação, nas boas práticas ambientais, na melhor forma de tratar os seus colaboradores. Tudo isso nos direciona a uma perenidade esperada para uma companhia do nosso porte”, explica Helena Guerra, diretora de Sustentabilidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança da CSN.

Com a realização de seu IPO, a CSN Mineração passa a ser a 23ª empresa listada no Nível 2 de Governança Corporativa da B3.