Desempenho

Nossos negócios são altamente integrados, uma vez que atuamos em toda a cadeia produtiva do aço, desde a extração do minério de ferro até a produção e comercialização de bobinas, folhas metálicas para embalagens e perfis de aço.

MINERAÇÃO

CSN Mineração: Extração de minério de ferro nas minas Casa de Pedra e Engenho Pires, em Congonhas.

Minérios Nacional: Extração de minério de ferro na mina Fernandinho, em Itabirito, Rio Acima e Nova Lima.

CSN Arcos – Mineração: Extração de calcário e dolomita na mina de Arcos.

ERSA: Extração de estanho na mina da ERSA. 

O minério de ferro é transportado por via ferroviária da MRS até o Porto de Itaguaí (TECAR)

SIDERURGIA

UPV: Minério de ferro de Casa de Pedra e Engenho Pires é direcionado à UPV (Usina Presidente Vargas, para a produção do aço. A unidade também recebe matérias-primas importadas e recebidas via Tecar.

CSN Porto Real: produz galvanizados, Galvanew® e blanks, atendendo, principalmente, ao setor automotivo.

CSN Paraná: a filial da CSN Paraná produz galvanizados, Galvalume® e pré-pintados para as indústrias automotiva, de construção civil e linha branca.

Embalagens: As unidades de embalagens de aço da Prada Embalagens são importantes consumidoras de folhas metálicas da CSN.

Distribuição: A Prada Distribuição atua na área de processamento e distribuição de aços planos.

CIMENTOS

Cimentos – UPV: UPV: A unidade de produção de cimentos, localizada em Volta Redonda, dentro da usina Presidente Vargas, utiliza escória de alto-forno gerada na produção de aço.

CSN Arcos – Cimentos: O calcário e a dolomita são usados na produção de cimentos na fábrica localizada em Arcos.

LOGÍSTICA

MRS: O minério de ferro da CSN Mineração é transportado por via férrea da MRS para ser exportado pelo Tecar, que também recebe matérias-primas para a fabricação de aço.

Tecon: Terminal de contêineres e carga geral, localizado no porto de Itaguaí.

Tecar: O minério de ferro que chega via MRS é exportado para diversos países. Matérias-primas são importadas e recebidas no Tecar e transportadas via MRS para produção siderúrgica.

FTL: CSN detém participação na FTL, antiga malha Nordeste da RFFSA.

TLSA: Projeto Transnordestina, que inclui 1.753 km de malha ferroviária na região Nordeste.

ENERGIA

Autogeramos energia por meio da turbina de topo do alto-forno 3 e da central termoelétrica de cogeração, em Volta Redonda, que fornecem energia para a UPV. Além disso, a participação da CSN nas Usinas hidrelétricas de Itá e Igarapava busca garantir grande parte do seu consumo anual, fornecendo energia para UPV, CSN Arcos e CSN Porto Real.

Consumo e producao responsaveis

Modelo de produção baseado em economia circular

Administramos e criamos valor para os coprodutos, contribuindo para a geração de caixa e para o desenvolvimento da economia circular, que proporciona ecoeficiência operacional, integra nossos segmentos de atuação e contribui para o desenvolvimento sustentável. Utilizamos materiais provenientes das nossas próprias operações para a produção de bens de consumo.

Influência da economia local e global

As maiores fontes de receitas que geramos provêm da produção e comercialização de produtos siderúrgicos e exportação de minério de ferro. Assim, o nível de atividade econômica brasileira e mundial tem forte influência nos nossos resultados.

Artboard 1

Registramos uma geração recorde de EBITDA ajustado em 2019, alcançando R$ 7,2 bilhões, incremento de 24% na comparação com 2018;

Artboard 2

A receita líquida atingiu R$ 25,4 bilhões, em 2019, 11% superior à registrada em 2018, resultado do maior volume de vendas do minério de ferro;

Artboard 3

Custo consolidado dos produtos vendidos atingiu R$ 17,2 bilhões, 7% superior a 2018, acompanhando o maior preço de matérias-primas, a parada do alto-forno 3 e os maiores volumes de vendas de minério de ferro;

Artboard 4

Lucro bruto totalizou R$ 8,1 bilhões, aumento de 19% sobre o montante obtido em 2018;

Artboard 5

As despesas com vendas aumentaram 3,5% no ano, enquanto as despesas gerais e administrativas evoluíram 3,4% na mesma base comparativa, passando a representar 2,0% da receita líquida, patamar mais baixo desde 2009;

Artboard 6

Em 2019, a conta de outras receitas e despesas operacionais atingiu valor negativo de R$ 1,9 bilhão, devido principalmente à realização a resultado de hedge de fluxo de caixa e da ociosidade de equipamentos paralisados.

Ebitda ajustado e margem ajustada (%)

Ebtida ajustado e margem ajustada

Em 2019, os investimentos somaram R$ 2,2 bilhões, em Capex de expansão e manutenção, sendo 61% destinados para a aceleração de diversos projetos na siderurgia, especialmente para a reforma programada do alto-forno 3.

Investimentos realizados em 2019

Continuamos fortemente empenhados no aumento da produtividade, eficiência e segurança em todas as áreas. Amparados no vasto conhecimento de nossos colaboradores e com o apoio da CSN Inova, que tem a missão de prospectar soluções voltadas à indústria 4.0 e aderentes a todas as operações do grupo, manteremos os investimentos em tecnologias disruptivas, energia renovável, sustentabilidade, economia circular, health techs e em processos para seguir na vanguarda em nosso segmento de atuação, em linha com nossa Essência: Fazer bem, fazer mais e fazer para sempre