• Biodiversidade & Serviços Ecossistêmicos

    O Índice de Biodiversidade para as Operações (BIO – Biodiversity Index for Operations) do grupo CSN.

    Em 2023, o Grupo CSN traçou como desafio a implementação de um Índice de Biodiversidade para todas as suas operações que tenham maior potencial de impacto na biodiversidade. A prática, que já é adotada pela maioria das operações de Cimentos, será incorporada para os demais segmentos do Grupo. Das doze unidades operacionais do setor de cimentos, que compõem o escopo do projeto, dez delas já aplicam essa metodologia. E, nos anos de 2023 e 2024, ela será replicada em mais nove unidades dos demais segmentos do Grupo.

    O BIO – Biodiversity Index for Operations consiste em um conjunto de diagnósticos e indicadores para orientar as operações na adoção de um sistema padronizado para monitorar a biodiversidade e incentivar a elaboração de relatórios regulares de acompanhamento. A aplicação da metodologia se baseia no guia “Biodiversity Indicator and Reporting System (BIRS)” da IUCN.
    No segundo trimestre de 2023, iniciou-se a, por meio do Projeto Piloto BIO, a adaptação e aplicação do BIO na mineração em Casa de Pedra (MG) e ainda em 2023 também será contemplada a TLSA Logística. O projeto conta com a participação de quinze profissionais multidisciplinares das unidades de Cimentos, Mineração, Logística e da área corporativa. A aplicação do índice permitirá a comparação de aspectos relevantes da biodiversidade sob as mesmas métricas, sendo possível identificar e ranquear operações com áreas de biodiversidade mais ou menos preservadas.

    Benefícios da Implementação:

    • Aprimoramento da medição dos progressos relativos ou degradação da condição da biodiversidade existente
    • Padronização da expressão numérica para a adequação da biodiversidade
    • Possibilidade de comparação histórica das unidades operacionais
    • Possibilidade de consolidação de resultados em níveis nacionais, regionais e globais
    • Estabelecimento de metas

    As diretrizes e parâmetros para a nossa gestão da biodiversidade estão estabelecidos na Política de Biodiversidade, aplicável a todos os negócios do Grupo CSN. Clique aqui e acesse a política.

    Programas de gestão dos impactos na biodiversidade


    1. Resgate de flora
    2. Monitoramento fenológico
    3. Coleta de sementes
    4. Afugentamento e resgate da fauna
    5. Compensação ambiental
    6. Revegetação de solo exposto
    7. Monitoramento da fauna e da flora no entorno das operações com mais de 500 espécies já identificadas
    8. Prevenção à incêndios florestais
    9. Execução de projetos de drenagem
    10. Implementação de dispositivos de contenção de sedimentos
    11. Sinalização de vias contra atropelamento da fauna
    12. Programas de educação ambiental

    Engajamento e esforços para reduzir a perda de biodiversidade:

    As questões de biodiversidade são avaliadas durante todo o ciclo de vida dos ativos da CSN.

    Os impactos negativos decorrentes de intervenções diretas sobre habitats (supressão vegetal) são gerenciados através do processo de licenciamento, iniciando pela realização de estudos ambientais, nos quais os impactos significativos negativos são endereçados conforme hierarquia de mitigação, buscando inicialmente evitar, em seguida minimizar e, nos casos necessários, compensar.

    Da mesma forma, aspectos relacionados aos fatores de perda de biodiversidade (poluição sonora, do ar, hídrica ou do solo) são devidamente controlados também através do processo de licenciamento (condicionantes de licença), sendo periódica e devidamente monitorados pelos órgãos competentes. Destaca-se também que a maior parte de nossas operações possui certificação ambiental ISO 14000.
    As áreas de recuperação (e compensações) e as áreas preservadas possuem monitoramento de fauna, flora e de status de recuperação, variando de acordo com as exigências do órgão ambiental licenciador de cada localidade, refletindo-se nas condicionantes de licença das respectivas unidades operacionais.

    Além disso, como parte do processo de licenciamento ambiental, foi elaborado o plano de manejo da RPPN Jurema, bem como o Plano de Ação da Biodiversidade (BAP) e o Plano de Monitoramento e Avaliaão da Biodiversidade (BMEP), que são verificados pelo órgão ambiental licenciador e são essenciais para o monitoramento do estado de conservação da biodiversidade.

    Com o objetivo de melhorar a eficácia de nossas ações e reduzir a perda de biodiversidade, o Grupo CSN emprega uma série de parcerias e esforços com governos, órgãos reguladores e organizações locais.
    Dentre os esforços e parcerias com governos e órgãos reguladores, podemos destacar os seguintes:

    No setor Siderúrgico, em 2023 foi iniciado o processo de recuperação da Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Floresta da Cicuta – RJ, conforme os termos do acordo de cooperação estabelecido com o ICMBio. Destacam-se também ações de educação ambiental, como oficinas de capacitação para empregados e comunidade, além da doação de materiais para a Reserva Biológica do Tinguá (REBIO), no Rio de Janeiro.

    No setor de logística, destaca-se a parceria com a Universidade Federal do Vale do São Franscisco (UNIVASF) em 2023. A UNIVASF é a fiel depositária do material biológico coletado nas frentes de supressão inerentes à construção da ferrovia TLSA. Essa parceria ajuda a CSN a cumprir a Instrução Normativa 13 de 2013, inerente ao processo de licenciamento, e contribui para o acervo da universidade.
    No setor de cimento, há parcerias com instituições públicas, como o Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais (IEF), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (EMATER), a Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG) e a prefeitura, além de empresas locais. Essas parcerias correspondem especialmente ao contexto da unidade operacional de Barroso.

    Por outro lado, entre os esforços e parcerias com organizações locais, a CSN Mineração mantém parcerias com museus e universidades que atuam em conjunto nas etapas de licenciamento que envolvem diagnóstico, coleta e identificação de espécies.

    As parcerias geralmente consistem no recebimento de espécimes da fauna em casos específicos em que há necessidade de orientação sobre identificação, por exemplo. Em contrapartida, contribuem para as coleções dessas instituições.

    Consulte o Relatório Integrado para saber mais sobre nossas ações: https://esg.csn.com.br/nossa-empresa/relatorio-integrado-gri