Siderurgia

Capital Manufaturado
Mapa de atuação

Capital Manufaturado Mapa de atuação

siderurgia-icone

UPV – Usina Presidente Vargas | 100%

CSN Porto Real | 100%

Prada Embalagens | 99,9%

1 of 7
siderurgia-icone

Prada Embalagens | 99,9%

2 of 7
siderurgia-icone

Prada Embalagens | 99,9%

Prada Distribuição | 99,9%

3 of 7
siderurgia-icone

CSN Paraná | 100%

4 of 7
siderurgia-icone

Prada Embalagens | 99,9%

5 of 7
siderurgia-icone

Prada Distribuição| 99,9

6 of 7
siderurgia-icone

Prada Distribuição | 99,9%

7 of 7

Clique nos ícones do mapa para ver nossas operações.

Clique nos ícones do mapa para ver nossas operações.

Notas: 1. Nenhuma operação da CSN está localizada em áreas de terras indígenas delimitadas.

              2. Na Prada Distribuição, somente a unidade de Mogi das Cruzes, SP é certificada pela ISO 14.001.

siderurgia-icone SIDERURGIA Participação
UPV - Usina Presidente Vargas | RJ 100%
CSN Porto Real | RJ 100%
CSN Paraná | PR 100%
Prada Embalagens | GO | RS | SP | RJ 99,9%
Prada Distribuição | PE | BA | SP² 99,9%

Notas: 1. Nenhuma operação da CSN está localizada em áreas de terras indígenas delimitadas.                                     2. Na Prada Distribuição, somente a unidade de Mogi das Cruzes, SP é certificada pela ISO 14.001.                                       

Processo siderúrgico

A CSN atua em toda a cadeia produtiva do aço, desde a extração do minério de ferro até a produção e comercialização de uma diversificada linha de produtos siderúrgicos que incluem aços planos, revestidos, galvanizadospré-pintados, folhas metálicas e aços longos (vergalhão e fio-máquina). A Companhia tem unidades em Volta Redonda e Porto Real, ambas no Estado do Rio; e em Araucária, no Paraná. No exterior, tem unidades em Portugal (Lusosider) e na Alemanha (SWT).

Além disso, a empresa conta com uma forte distribuidora de açoPrada Distribuição, e uma unidade especializada em embalagensPrada Embalagens (SP) e Prada Resende (RJ).

Um modelo de negócios integrado e uma gestão da qualidade permitem que a CSN tenha um dos menores custos de produção da indústria siderúrgica global.

Saiba mais

Meio Ambiente

Possíveis destinos dados a resíduos, equipamentos e materiais obsoletos para a redução do volume destinado aos aterros sanitários.

Artboard 1

Uso interno na produção, como a sucata de aço ou o cobre proveniente de descartes de cabos elétricos.

Comercialização de materiais que após a segregação e processamento tenham valor agregado, como papelão, plásticos e papéis picotados. Há, ainda, outros materiais recicláveis segregados e vendidos à granel como borra de zinco, sucata de aço inox, sucata de material elétrico, sucatas de refratários, paletes e madeiras, entre outros.

Destinação dos materiais para um fornecedor licenciado para o descarte ambientalmente correto. Nesse caso, estão contemplados resíduos classe I, entre eles: lixo contaminado em tambores, borra oleosa, resíduo de gás de coqueria, fibra cerâmica contaminada. Esses materiais são suportados por contratos de destinação e encaminhados para coprocessamento na indústria de cimento ou para aterros licenciados. Saiba mais sobre essa iniciativa da Diretoria de Suprimentos, em conjunto com a Diretoria de Vendas Especiais e Áreas de Meio Ambiente, na página 168 do PDF do Relato Integrado.

UPV

99,4%

dos resíduos perigosos gerados

foram reutilizados em 2019

97,1%

de reutilização de resíduos

não perigosos em 2019

21,7%

de redução na geração

de resíduos não perigosos em 2019 x 2018

2,5%

de redução na geração

de resíduos perigosos em 2019 x 2018

A Usina Presidente Vargas é a única siderúrgica do país a realizar a pegada hídrica e é a planta da CSN com o maior consumo de água; nessa unidade, somos referência ao reciclar e reutilizar 92,9% da água em 2019.

USINA PRESIDENTE VARGAS (UPV)

Reciclagem e reúso de água na UPV

Nota: A redução do percentual de reciclagem e reúso de água ocorreu devido ao retorno da operação do Turbo Gerador nº 3 da Central Termoelétrica – 1 da UPV. Embora a unidade tenha mantido a vazão de recirculação de água nos seus processos operacionais, houve um aumento da captação de água para atender a demanda do turbo gerador 3, que utiliza combustíveis oriundos dos processos da UPV e, portanto, é um elemento positivo na geração de energia elétrica. A Central Termoelétrica 1 é uma planta de cogeração que em seu ciclo utiliza gases siderúrgicos na geração de energia elétrica e vapor de processo.

BALANÇO HÍDRICO NA UPV EM 2019

92%

da água captada

de todo grupo CSN em 2019 é da UPV

Reúso de

92,9%

da água utilizada

pelos processos produtivos em 2019

23

estações de tratamento

de efluentes e águas em regime fechado, ou seja, sem descarte dos efluentes para os corpos hídricos

7

estações de tratamento abertas,

que tratam e devolvem os efluentes tratados aos corpos hídricos. Esses efluentes são monitorados constantemente, totalizando mais de 2.000 ensaios mensais

Evolução do percentual de reúso de água na UPV desde 2000

Captação de água na UPV (m³/s)

Balanço hídrico na UPV em 2019 (m³/s)

Colaboradores na Central Termoelétrica da Usina Presidente Vargas
Colaboradores na Central Termoelétrica da Usina Presidente Vargas

Percentual de reúso de água na UPV desde 2008

Biodiversidade UPV

Cientes da importância de áreas de conservação e de preservação mantidas, apoiamos e atuamos em parceria com instituições como o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) na gestão ambiental dessas áreas. A parceria ocorre, por exemplo, na gestão da ARIE (Área de Relevante Interesse Ecológico) Floresta da Cicuta, localizada em Volta Redonda (RJ), com 131,28 hectares do bioma Mata Atlântica, área de significância local e nacional, tendo em vista a conservação dos recursos naturais que remanescem intactos da região.

Área Florestal da Cicuta | Volta Redonda (RJ)

Conservação de 131,28 hectares do bioma Mata Atlântica.

Plantio, até o final de 2020, e manutenção de 8 mil mudas de árvores nativas da Mata Atlântica

Plantação de mudas em ambiente urbano de Volta Redonda, criando um banco de crédito para compensações futuras da Usina Presidente Vargas. Toda supressão de árvore é avaliada criteriosamente com as devidas justificativas e, somente em último caso, é realizada. O banco de crédito feito pela CSN prevê compensações equivalentes a 6×1 (a cada supressão, seis mudas de árvores devem ser plantas e mantidas).

Mudas de árvores doadas pela CSN à Prefeitura Municipal de Volta Redonda (RJ)

Qualidade do Ar

No município de Volta Redonda (RJ), mantemos três estações automáticas de monitoramento da qualidade do ar e cinco semiautomáticas, além de estações meteorológicas, de forma a dar transparência aos nossos controles ambientais e aos indicadores de qualidade do ar. O monitoramento das emissões atmosféricas da UPV e das plantas de cimentos de Volta Redonda (RJ) é realizado por meio de medições isocinéticas (fluxo de gás na entrada do equipamento tem a mesma velocidade do fluxo de gás que se pretende analisar) e contínuas, através de medidores automáticos de materiais particulados e gases.

Monitoramos constantemente nossas emissões atmosféricas, de forma a garantir a manutenção da qualidade do ar dentro das normas estabelecidas por lei, sem gerar riscos para a saúde da população. Na UPV, monitoramos tanto as emissões atmosféricas quanto a qualidade do ar, controlando e reportando os resultados de forma transparente, automatizada e em tempo real ao órgão ambiental estadual, que consolida as informações e divulga o IQAr (Índice da Qualidade do Ar) para a população. 

Para atenuar e mitigar a emissão de poluentes atmosféricos das fontes fixas, utilizamos as melhores tecnologias de controle ambiental em nossos equipamentos. Na Usina Presidente Vargas, por exemplo, possuímos os Sistemas de Despoeiramento tipo Filtros de Mangas e Precipitadores Eletrostáticos.

Meta

Estabelecemos como meta reduzir as emissões de material particulado por tonelada de aço bruto produzida na UPV em 40% até até 2030, na comparação com o resultado de 2019.

Mudanças Climáticas

Saúde e Segurança

Unidades
Grupo
Tx. 2014
Tx. 2015
Tx. 2016
Tx. 2017
Tx. 2018
Tx. 2019
Tx. 2020
Pradas
METALURGIA
10,46
11,97
12,85
6,92
5,72
9,21
12,92
UPV +Porto Real + Araucaria
SIDERURGIA
3,57
3,64
4,35
3,65
3,28
2,81
2,09

Taxa de frequência (CAF + SAF) – Siderurgia

Social

Inclusão de mulheres: UPV registra aumento de 31% no número de colaboradoras em 2019

Desde 2017, a UPV (Usina Presidente Vargas) possui o Programa Diversidade, que tem como premissas respeitar, valorizar e incentivar, em 3 focos de atuação: aumento da presença feminina, crescimento da raça negra e contratação de PcDs. Em 2018 e 2019, atuamos fortemente para a capacitação técnica de mulheres, visando conscientizar os colaboradores e promover a inclusão na CSN, através de oportunidades dirigidas. Com isso, registramos um aumento de 31% no número de mulheres no quadro funcional da UPV, na comparação com 2018, fechando 2019 com 1.264 colaboradores na unidade.

Percentual de mulheres na UPV

Frentes criadas na UPV